MENU
Melasma

O que é Melasma?

publicado por Poupafarma | 23 de novembro de 2018

Melasma é uma hiperpigmentação da pele, decorrente da deposição aumentada de melanina, proteína que garante a coloração da pele e evita os danos da radiação ultravioleta no DNA. O transtorno resulta na formação de manchas castanho-escuras ou marrom-acinzentadas, com limites bem demarcados, mas formato irregular.

Embora se localizem preferencialmente na face, na região das maçãs do rosto, da testa, do lábio superior, no queixo e nas têmporas, as lesões também podem surgir no colo, pescoço e antebraços.

Melasma é uma condição crônica e recidivante. Mais frequente nas mulheres em fase reprodutiva, entre 20 e 50 anos, do que nos homens (apenas 10% são afetados), e é raro manifestar-se antes da puberdade.

Melasma

São mais vulneráveis as pessoas de pele morena em tons mais escuros, como as afrodescendentes, as de ascendência árabe, as asiáticas e as hispânicas que, por natureza, produzem mais melanina, uma vez que possuem melanócitos mais ativos.

A formação dessas áreas escurecidas no rosto exerce impacto negativo sobre a autoestima e a qualidade de vida das portadoras do transtorno. Não é incomum o aspecto antiestético das lesões servir de entrave para os relacionamentos sociais e afetivos. A alteração na aparência da pele chega a interferir no desempenho profissional e a pessoa acaba se afastando dos ambientes que antes frequentava e fugindo dos amigos.

Tipos de Melasma

Tomando como base a distribuição de melanina na mancha escurecida, o Melasma pode ser classificado nos seguintes tipos:

  • Epidérmico – o depósito de melanina concentra-se na epiderme, camada protetora e superficial da pele que fica em contato direto com o mundo exterior.
  • Dérmico – a mancha de melanina atinge a derme, camada intermediária da pele, localizada entre a epiderme e a hipoderme e composta por diversos tecidos com diferentes funções. Por exemplo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, terminações nervosas.
  • Misto – quando o depósito de melanina afeta tanto a derme quanto a epiderme.

Fatores de risco

Como já foi mencionado, ser mulher em idade reprodutiva e possuir tom de pele mais escuro são fatores de risco para o aparecimento de Melasmas. Os outros são:

  • Exposição aos raios ultravioleta.
  • Ação de hormônios femininos presentes nos anticoncepcionais orais ou nos esquemas da terapia de reposição hormonal.
  • Gravidez, período em que alterações hormonais estimulam a atividade dos melanócitos.
  • Disfunção da tireoide.
  • Uso de cosméticos irritantes ou de drogas para tratamento da hipertensão ou epilepsia.

Causas

Ainda não foi totalmente esclarecida a causa do aparecimento do Melasma. O certo é que a exposição aos raios ultravioleta estimula a atividade dos melanócitos (células especializadas na produção de melanina, pigmento que confere cor à pele), e a melanose (acúmulo de melanina nos tecidos). Prova disso é que, em geral, as lesões características do Melasma poupam as áreas do corpo menos expostas ao sol.

Melasma

Pesquisas já mostraram que a radiação ultravioleta produz uma “luz invisível”, que o olho humano não consegue captar, mas que pode provocar alterações na produção de melanina. Raios X, micro-ondas, infravermelho, raios gama produzem igualmente um tipo de ”luz invisível”. Estudos mais recentes registraram a existência de uma “luz” que pode ocasionar aumento na pigmentação característica do Melasma e alterar as fibras de colágeno em pessoas geneticamente predispostas. Ela consiste numa forma de radiação eletromagnética correlacionada com a percepção das cores, que os seres humanos conseguem distinguir a olho nu. Outros exemplos desse tipo de radiação é a luz emitida pela tela do computador, do tablet, do celular e da TV, pelos raios laser ou pelas lâmpadas fluorescentes.

Prevenção

Portadores de Melasma devem usar diariamente protetor solar de amplo espectro com FPS igual ou superior a 30 e índice de PPD (Persistent Pigment Dark ou UVA) equivalente a pelo menos um terço do valor do FPS (UVA+ ou UVA++). O produto deve ser reaplicado a cada duas horas, se a pessoa permanecer ao ar livre e sempre que molhar a pele ou suar muito. Clique aqui e confira uma variedade de protetores com preços especiais!

Recomendações e Tratamento

A fotoproteção com filtros solares de amplo espectro deve ser complementada por medidas que diminuem o risco de desenvolver Melasmas, como uso de chapéus de abas largas, de bonés com amplas viseiras, de óculos escuros e de guarda-sol, quando possível. A atenção deve ser redobrada entre dez da manhã e quatro da tarde, período em que é maior a emissão dos raios ultravioleta que agridem a pele.

Melasma23

Protetor solar é para ser usado o dia todo, e não só nos momentos de lazer na praia ou na piscina. Mesmo nos dias nublados, ele deve ser aplicado, porque os raios ultravioleta conseguem romper a barreira imposta pelas nuvens e manchar a pele.

Além da aplicação sistemática do protetor solar de amplo espectro, o tratamento do Melasma pode incluir o uso tópico de agentes que promovem o clareamento gradual das manchas causadas pela produção excessiva de melanina. Para tanto, consulte um dermatologista para auxiliar no melhor tratamento sem prejudicar a saúde da sua pele.

Fonte: drauziovarella.uol.com.br

Melasma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2016 - Blog da Poupafarma - Todos os Direitos reservados.